quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Como Virar o Cativeiro da Desolação na Família

COMO VIRAR O CATIVEIRO DA DESOLAÇÃO NA FAMÍLIA
João 42:1-13

OBJETIVO
Esta aula tem como objetivo mostrar que nem tudo está perddio, ainda que esteja tudo se desmoronando, esteja sem perspectivas de vida, mas que ao cheiro das águas tudo se renovará (Jó 14:7,9), porque para Deus nada e impossivel (Lc 1:37).
INTRODUÇÃO
Muitas vezes passamos por situações complicadas no nosso dia-a-dia, em todas as áreas, e na vida familiar não é diferente, pois sabemos que o homem, em sua plena consciência, clama por Deus, pois no intimo ele sabe que é feitura de Deus (Gn 1:27; Ez 18:4). Senão, vejamos a declaração de Josué em Js 24:15b. Essa é a melhor opção, toda a familia glorificando e exaltando ao Senhor, porque benditas serão (Gn 12:3). Mas como o inimigo nunca está satisfeito, a Bíblia diz que ele está ao nosso derredor (1Pe 5:8) e não foi diferente por ocasião de quando Jó prosperava com toda a sua familia, eis que ele se apresentava diante de Deus (Jó 1:12).
Mesmo depois de tanta tragédia na familia, o que mais nos cham a atenção é o posicionamento de Jó (Jó 1:20,21)
Por que então Jó declara “Bendito seja o nome do Senhor” depois de tanta perda?
I.Devido a sua convicção em esperar somente em Deus. “Ainda que Ele me mate, nele esperarei; contudo, os meus caminhos defenderei diante dele” (Jó 13:15). Essa convicção de Jó demonstra uma das mais belas declarações que um servo faz ao seu Senhor. É impressionante a fé declarada nesse versiculo, porque ela é demonstrada em condições adversas, onde a solução só pode vir do Senhor (Sl 40:1; Sl 121:1). Observamos que o processo sofrido por Jó foi totalmente desconfortável, pois além de perder todos os filhos, perder os bens, a saúde e a cada dia ia tudo de mau a pior. Mas Jó, através da sua convicção, sabia que nada poderia roubar o que mais lhe havia de precioso, como declarou o apóstolo Paulo em Rm 8:35-38.
Muitas vezes nos deparamos com pessoas que declaram que estão passando uma prova terrível como a de Jó. Entendo que precisamos é ser reconhecidos por Deus como o nosso irmão Jó foi (1:8). Na realidade, certos crentes sofrem pelas mesmas razões que os ímpios, tendo como consequencia de seus próprios atos. Ou seja, tudo que o homem semear, isso também ceifará (Gl 6:7). Mas Jó não semeou, pelo contrário, aceitou aquilo proveniente do Senhor (Jó 1:12,22). Precisamos aprender com Jó (Jó 1:21).
II. Devido reconhecer a soberania de Deus. Depois de Jó passar por todo um processo terrível, o qual muitos não conseguiriam suportar, ao contrário de muitos, Jó glorifica e exalta o nome do Senhor, não atribuindo a Deus falta alguma (Jó 1:20-22). Nem mesmo quando aqueles que gozam de maior intimidade com Ele tiram o seu reconhecimento da soberania de Deus (2:9,10). Tudo isso faz com que Jó seja considerado exemplo de integridade (Ez 14:14,20), e também exemplo de paciência (Tg 5:11).
No capitulo 42, versiculos 1 e 2, diz assim: “Então, respondeu Jó ao Senhor e disse: Bem sei eu que tudo podes, e nenhum dos teus pensamentos pode ser impedido”. O que entendemos com isso? Entendemos que é o final da provação, onde Jó tem o seguinte entendimento: “Eu nada sou, Deus é tudo”. O que Jó aprendeu com isso? Aprendeu:
1) A não desconfiar da sabedoria e do amor de Deus – Qualquer que seja a significação do sofrimento, nunca pode ensinar injustiça ou falta de misericórdia da parte de Deus (Jó 42:10);
2) A não se exaltar contra Deus – Embora cônscio de sua própria integridade e da sua fé em Deus, Jó precisa lembrar que nenhuma carne pode gloriar-se perante Deus (Jó 42:5);
3) A não insistir que Deus explique tudo – É óbvio que isso significa que “onde não podemos compreender, podemos confiar”, afinal, Jó é abençoado com o dobro de tudo quanto antes possuía, exceto filhos (Jó 42:12,13).
Conclusão
Cocluimos que a desolação na familia só foi revertida devido a convicção de Jó em esperar somente em Deus (Jó 13:15), aliado ao reconhecimento da soberania de Deus (Jó 42:2). O que isso quer nos ensinar? Que não importa as provações que venhamos a passar, o que importa é que aprendamos como nosso irmão Jó, que mesmo em situação dificil, ainda encontrava ânimo para orar pelos seus amigos, e, a partir daí, o Senhor virou o cativeiro de Jó com relação a sua familia (Jó 42:10).
(EXTRAÍDO da revista “explicando as escrituras” Jovens/adultos 2 semestre/2005)

4 comentários:

Douglas Fernandes disse...

diante deste estudo,eu vejo existe um erro em quando se recita João 42:1-13, poderia responder esta minha pergunta. Desde já eu vos agradeço pela resposta.

Douglas Fernandes disse...

Quero se possível me responda a respeito da citação de João 42:1-13

Douglas Fernandes disse...

b, i, a

Douglas Fernandes disse...

diante deste estudo,eu vejo existe um erro em quando se recita João 42:1-13, poderia responder esta minha pergunta. Desde já eu vos agradeço pela resposta.